domingo, 25 de junho de 2017

solidão

no centro do deserto
na noite mais funda do universo
só pérolas de estrelas distantes
átomos de gelo e ar veloz
me tocavam sob  luz transcendente 
nas ondas das dunas de estranha vida
deliberei atravessá-lo contigo
junto aos teus passos caminhei
aprendi a não ter medo da morte
a enfrentar a fúria dos fanáticos 
dos fantasmas,  das fomes, misérias e hipocrisias
teus olhos me vestiram na planura dos medos
tuas mãos me ofereceram o vinho puro
procedente de uvas cor de sangue 
numa taça de cristal 
sibilando amor em pleno vento

quarta-feira, 21 de junho de 2017

If Minds Had Toes - (O dia em que Sócrates vestiu jeans)

Wook.pt - O Dia em que Sócrates Vestiu Jeans
Sugestão de leitura


Título: O dia em que Sócrates vestiu jeans

Autora: Lucy Eyre

Data da 1.ª edição: Abril de 2007

Sobre a autora:

Lucy Eyre cresceu em Londres e estudou Filosofia na Universidade de Oxford. Conviveu desde muito cedo com escritores e argumentistas por ser filha do realizador cinematográfico Richard Eyre. Uma doença súbita conduziu-a a uma forma diferente de ver a vida. Dedicou-se, assim, à escrita.




Sobre o livro:


            O título da edição inglesa, “If Minds Had Toes”, (na edição brasileira “O Pensamento Voa - Descobrindo o prazer da filosofia”) é bem diferente do da edição portuguesa da “Casa das letras”. Talvez os jeans sejam símbolo de bem-estar, de prazer de viver e de liberdade. Sócrates, celebérrimo filósofo que deu a vida por um ideal de justiça, ao vestir jeans estará a comprometer-se numa forte e actual ligação à juventude, para confirmar o seu verdadeiro carácter. Lembremo-nos de que uma das acusações que o levaram à condenação à morte foi a de corromper a juventude, o que confirma a sua ocupação pedagógica.
Os temas fundamentais da filosofia presentes no Mundo das ideias (uma alusão à filosofia do célebre filósofo grego, Platão, e ao seu mestre que nada escreveu, Sócrates), a moral, o livre-arbítrio e a felicidade, são alvo de uma sucessão de diálogos entre Bem Warner, um adolescente típico, Lila, uma mulher jovem e atraente, e os grandes e determinantes pensadores-filósofos de sempre. Ela leva-o, por meio de um bizarro convite, para um lugar inteiramente desconhecido, o “Mundo das Ideias”, cujo presidente é Sócrates, o mestre de Platão. Curiosamente, Sócrates fez uma aposta com o seu rival e grande filósofo, Wittgenstein, filósofo austríaco considerado um dos maiores do século XX (contribuiu com diversas inovações nos campos da lógica, filosofia da linguagem e epistemologia.). Sócrates tem todo o interesse em ganhar a aposta e, para tal, terá de convencer Ben Warner de que a filosofia pode melhorar a sua vida. Então o nosso jovem acaba por entrar num mundo paralelo e por encetar uma viagem mental às grandes questões da filosofia que são, entre outras: O que é o mundo? O que é a felicidade? A morte é ou não o que de pior nos pode acontecer? Teremos vontade própria ou obedecemos a um destino preconcebido por um ser que tudo criou e em tudo manda? Em que é que nós podemos acreditar? Qual a diferença entre verdade e mentira? Porquê os dilemas morais?
Por exemplo, a propósito do que é errado ou não e das regras morais:
“- Se é possível dizer que não faz mal infringir uma regra (…) se com isso evitar um desfecho verdadeiramente mau, então qual é a vantagem de ter regras? Ou as regras são invioláveis e é por isso que as temos, ou podem, por vezes, ser infringidas, caso em que deixam de ser regras.
- Num dilema moral como deve ser (…) seja o que for que fizermos envolve sempre fazer qualquer coisa errada. É óbvio que não existe uma resposta fácil. Se houvesse não seria um verdadeiro dilema.” – (pág. 229)
Realmente o nosso jovem escapa a uma vida entediante e desperta para a sua importância através da aprendizagem dos conceitos básicos da filosofia. Para além disso conclui, ou faz-nos concluir, que a filosofia é inevitável. Toda a gente necessita de uma filosofia de vida. Toda a gente precisa de saber em quê e porquê acreditar nisto ou naquilo. Toda a gente tem um caminho a trilhar e sem filosofia não sabe nem o porquê nem o para quê desse caminho que é sempre resposta a perguntas existenciais.

      Este livro aconselha-se a toda a gente, nomeadamente às pessoas inteligentes, divertidas e cativantes, mas também àqueles que, não o sendo, apreciam a originalidade, a diversão e a inteligência. No fundo, este livro mostra-nos que qualquer pessoa pode ser ensinada a pensar. Para tanto basta lê-lo e deixar-se encantar com a fluidez da escrita de  Lucy Eyre.

Boa Leitura.

terça-feira, 20 de junho de 2017

De que se ocupa a filosofia?

A filosofia ocupa-se de diversas questões, classificadas segundo domínios específicos – o pensamento, o ser, o conhecimento, a ciência, a moral, a linguagem, a beleza, a existência, Deus, etc. A estes domínios correspondem disciplinas filosóficas particulares. Todas estas interrogações e inquietações nos revelam que as preocupações da filosofia não excluem nenhuma das dimensões em que se move a existência humana. Kant resumiu em três interrogações o âmbito da filosofia: Que posso saber? Que devo fazer? Que me é permitido esperar? Todas estas questões podem ser sintetizadas numa só: O que é o Homem? A resposta à última questão pressupõe a resposta às anteriores. O Homem é o grande mistério do próprio Homem, já que todos os mistérios decorrem, afinal, das suas inquietações. Importa, por conseguinte, não criar fronteiras estanques entre os diversos problemas filosóficos. Eles encontram-se inter-relacionados, devendo ser abordados de forma unitária e integradora, já que dizem sempre respeito àquele que os formula: o ser humano.